27 de May de 2024

Sua Revista Eletrônica de Qualidade

Moradores da Freguesia do Ó afirmam
que casas estão danificadas devido a
obra da Linha 6-Laranja do Metrô

2 min read

Moradores da Freguesia do Ó, Zona Norte da cidade de São Paulo, denunciam que suas casas estão sofrendo danificações em suas estruturas por conta das obras da Linha 6-Laranja do Metrô. Segundo os relatos, até uma creche foi afetada pela obra. Eles mostram que afundamentos no solo têm aumentado nos últimos 30 dias de cinco para sete centímetros. “O nosso receio é que tudo isso aconteceu para um preparo para que a tuneladora [tatuzão] passasse aqui embaixo. O meu medo é: e quando passar, o que pode acontecer?”, contra a comerciante Juliana Geraldis. A comerciante alugou um espaço no bairro e não pôde abrir sua hamburgueria porque o chão do imóvel afundou, apareceram rachaduras em várias paredes e a Defesa Civil interditou o local. Estamos há 47 dias nessa situação e só piora. Porque os boletos não param”, diz. Comerciantes contam que um trecho da obra na Avenida Miguel Conejo teve início em novembro, na altura do número 850. A promessa era durar dois meses, até janeiro. Porém, quatro meses depois, o tapume continua interditando parte da avenida. O prédio da creche municipal Maura Duarte Nuvens, que fica em frente à obra, está interditado por apresentar rachaduras. A unidade, que recebia diariamente mais de cem crianças, foi desativada. Este não é o primeiro problema na Linha 6-Laranja, que ligará a Brasilândia, na Zona Norte, até o Centro com 15 estações.. Em 2022, uma cratera engoliu parte da Marginal Tietê depois que o tatuzão da obra chegava ao Poço Aquinos. Laudo contratado pela Acciona, empresa responsável pelas obras, culpa a Sabesp pelo acidente. Já o Instituto de Pesquisas Tecnológicas, contratado pelo governo de São Paulo, concluiu que houve falhas da Acciona na execução da obra. Por nota, a Acciona disse que inspeções prévias foram realizadas e que os reparos já estão sendo realizados nos imóveis. A empresa ainda disse que não existe risco de novos danos, pois os imóveis estão sendo monitorados pelas equipes do projeto.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *