Algumas paradas obrigatórias para ciclistas em São Paulo

Sabia que em 10 anos o uso de bicicleta dobrou no Brasil?

A ANTP (Associação Nacional de Transportes Públicos) lançou um relatório neste ano que aponta um aumento significativo do uso de bike como transporte, que subiu de 1,2 bilhão de viagens anuais em 2003 para 2,6 bilhões em 2014. Pensando nisso, nada melhor do que continuar incentivando seu uso com o nosso guia que reúne algumas paradas obrigatórias para ciclistas em São Paulo.

Somente na capital paulista houve um aumento de 66% no número de ciclistas entre 2015 e 2016. O aumento das ciclofaixas e ciclorrotas facilita o acesso da população à bicicleta, seja para atividades rotineiras ou atividades de lazer do fim de semana. Independente das polêmicas e das controvérsias malucas que envolve, as ciclovias são um caminho sem volta e já conquistam seu espaço nas principais vias públicas de Sampa. Vale lembrar que as cidades são para pessoas e não para carros.

Entre algumas iniciativas bacanas que têm surgido para ajudar a galera do pedal está o Bike It, um site e app que mapeia e avalia estabelecimentos bikefriendly em SP. Outra proposta bem legal é a da Bike Anjo, uma plataforma que conecta ciclistas experientes e iniciantes, com o intuito de promover o meio de transporte. Nela você oferece ou encontra ajuda para aprender e praticar suas pedaladas, recomendações de rotas, acompanhamento no trânsito, etc.

1. Oficina Mão na Roda

Este é, sem dúvidas, um dos projetos mais legais da cidade. A Oficina Mão na Roda tem ponto fixo dentro do Centro Cultural São Paulo e também circula pela Vila Madalena para oferecer auxílio gratuito para quem deseja consertar sua bike ou apenas dar um trato mesmo. É movida por doações e organizada pela Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo – Ciclocidade. O coletivo é aberto a quem desejar participar e incentivar a autonomia de outros ciclistas.

2. Las Magrelas

Funcionando como oficina e bar, o Las Magrelas é feito por quem é especialista nas bikes, oferecendo conserto, balcão com ferramentas (para quem deseja por a mão na massa), venda de peças, roupas, acessórios e da bicicleta propriamente dita. Além disso tem um bar com cervejas artesanais e promove feira de trocas de peças usadas, entre outras coisinhas.

3. Aro 27 Bike Café

O espaço dedicado aos ciclistas oferece chuveiro quente, vestiários com armários e toalhas limpas, estacionamento para bikes e serviços mecânicos. Além disso, tem uma cafeteria com um dos combos de café da manhã mais baratos da cidade, custando entre R$ 5 e R$ 19. Quem for até o local de bike, skate, patins e transportes ativos ganha 5% de desconto nos itens do menu. Você ainda pode colaborar com o projeto Café Pendente, deixando uma bebida paga para um desconhecido num ato de gentileza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *