Dilma passeia de bicicleta no domingo de Páscoa em Porto Alegre

Presidente da República está na capital gaúcha desde quinta-feira (24).
Ela deve passar o domingo, que é aniversário da filha, com a família.

Em Porto Alegre desde quinta-feira (24) para passar o feriado de Páscoa com a família, a presidente Dilma Rousseff manteve sua rotina de pedaladas e novamente saiu de bicicleta na manhã deste domingo (27). A presidente estava acompanhada de dois seguranças.
Ela foi vista por volta das 6h30 na ciclovia da Avenida Érico Verissimo. Vestia calça, casaco e tênis próprios para atividades físicas, além de óculos e capacete.

Dilma tem um apartamento na Zona Sul da capital, região por onde costuma pedalar, como fez na última sexta (25). Desta vez, ela alterou e estendeu um pouco o trajeto.

Dilma na capital

Dilma chegou pouco depois das 20h de quinta-feira (24) ao Rio Grande do Sul. O desembarque ocorreu na Base Aérea de Canoas, na Região Metropolitana, cidade a cerca de 18 quilômetros de Porto Alegre. De lá, ela se deslocou até a capital, com destino à Zona Sul, onde tem um apartamento.

Segundo a TV Globo apurou, ela deve aproveitar a viagem para comemorar, além da Páscoa no domingo (27), o aniversário de 40 anos da filha, Paula Araújo.

Oficialmente, o Palácio do Planalto não informou detalhes da programação da presidente na capital gaúcha, já que a agenda é particular, nem mesmo da data de retorno a Brasília. A tendência é que ela retorne neste domingo (27).

Processo de impeachment

Dilma viaja para o Rio Grande do Sul no momento mais conturbado de seu governo. Alvo de um processo de impeachment no Congresso Nacional, ela tenta evitar uma debandada dos partidos que compõem sua base no parlamento.

Ao retornar à capital federal, a presidente deverá realizar os últimos esforços para manter o PMDB na base governistas. Na terça-feira (29), a cúpula peemedebista tem reunião marcada para decidir se desembarca do governo do PT.

Inicialmente, o encontro do PMDB para avaliar a possível saída do governo aconteceria no dia 12 de abril, conforme foi acordado em convenção no início de março. Integrantes do partido descontentes com a permanência na base aliada, no entanto, pressionaram o presidente da sigla, Michel Temer – vice-presidente da República –, para antecipar a reunião.

A antecipação do encontro pode influenciar na votação dos deputados do PMDB na comissão especial do impeachment. A saída do partido da base pode dar força ao processo de afastamento de Dilma da presidência, na medida em que parlamentares peemedebistas ficarão livres para votar a favor da destituição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *