Conheça o trabalho hiperrealista do “Ron Mueck brasileiro”

Vale à pena prestigiar!!

As esculturas de Giovani Caramello, artistas brasileiro de 24 anos, natural de Santo André, se destacam pelo seu traço hiper realista e têm levado a muitas comparações com as obras do famoso escultor australiano Ron Mueck, que levou mais de 400 mil pessoas a Pinacoteca de São Paulo para sua exposição.

As obras do brasileiro possuem em média 0,80 cm, reproduzem seres humanos e suas minuciosidades, como marcas de expressões faciais, barbas, cílios, sardas, olhos, poros, além de retratarem sentimentos e emoções.

Em 2010, Giovani começou sua carreira de escultor, como modelador em 3D e nunca mais largou a arte. Ele utiliza silicone, resina, tintas, fibra de vidro e moldes para fazer seu trabalho. São necessárias horas de estudos e testes para chegar ao nível de detalhe que o artista procura, ainda que Giovani garanta que a poesia e o conceito da obra são mais importantes que tudo isso.

Uma de suas obras chama-se “Sozinho” e retrata um pré-adolescente ruivo, com sardas, olhos claros e tristes, vestido com uma capa do Batman. “É uma criança passando para a adolescência, que se sente triste e sozinha. Ele tem essa capa que simboliza a infância. Todas as obras que eu faço têm um lado mais poético, porque é isso que traz vida para a obra, mais que aparência. Pretendo transmitir isso mais claramente nas próximas esculturas”, afirma.

Ao ser questionado sobre a comparação de seu trabalho com as obras de Ron Mueck, Giovani diz que se inspirou bastante no artista, mas que ainda precisa aprimorar a modelagem, pintura e acabamento para poder alcançá-lo. Suas obras ganharam uma exposição chamada “Impermanência”, na Oma Galeria, em São Bernardo do Campo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *