Como foi o 2º dia de sessão que analisa abertura do impeachment

Fala de partidos durou 32 hs, discursos individuais seguem pela madrugada.
Sessão começou na sexta e já é a mais longa da história da Câmara.

Neste sábado (16), segundo dia de sessões na Câmara para analisar a abertura de processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, foram concluídas as manifestações dos partidos e começaram os discursos individuais dos deputados inscritos.

ACOMPANHE A SESSÃO AO VIVO

Já são mais de 40 horas de trabalhos initerruptos. A sessão bateu recorde e é considerada a mais longa da história da Câmara.
Só a fase de manifestação dos deputados das 25 legendas durou mais de 30 horas. As manifestações começaram sexta-feira (15), primeiro dia de sessão para análise do impeachment.

Saiba como se manifestou cada um dos partidos

Em seguida, foram abertos os discursos individuais dos parlamentares que se inscreveram para falar a favor e contra a abertura do impeachment de Dilma. As falas dos parlamentares seguem pela madrugada deste domingo (17).

Bate-boca

Na noite de sábado, alguns parlamentares se exaltaram enquanto faziam seus discursos e houve bate-boca. Os deputados Givaldo Vieira (PT-ES) e Rocha (PSDB-AC) tiveram seus discursos interrompidos e acabaram ganhando um minuto a mais para discursar.

O deputado Pepe Vargas (PT-RS) sugeriu que o tempo seja parado se o parlamentar for interrompido, para que todos tenham o direito a falar por 3 minutos.

Desistências

São 249 deputados inscritos para falar, mas 60 parlamentares de 14 partidos da oposição abriram mão de seus tempos para acelerar o processo e garatir que a votação tenha início no fim da tarde deste domingo, como previa a Presidência da Câmara.
Os trabalhos foram abertos às 8h55 de sexta-feira (15) e até a meia-noite já eram oito sessões seguidas de debates. A Secretaria-Geral da Mesa considera como sessão contínua as sessões que ocorrem consecutivamente com intervalos menores que uma hora.

Veja o roteiro de cada uma das sessões

Corrida contra o tempo

Fora do plenário da Casa, governo e oposição intensificaram a disputa do votos na véspera da sessão que vai decidir se o processo de impeachment segue para o Senado. Eles focaram principalmente nos deputados que ainda estão indecisos.

A sessão que vai votar a abertura ou não do processo de impeachment de Dilma está prevista para começar às 14h deste domingo. A chamada para votação deve ter início às 16h.

Cada um dos 513 deputados será chamado para dizer seu voto. A presidência da Casa prevê uma média de 30 segundo para a manifestação de cada parlamentar.

Se for aprovado, o processo de impeachment segue para análise no Senado, onde ocorrerá o julgamento da presidente, caso a denúncia seja acolhida pelos senadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *