Algumas das cidades do PI

HISTORIA DE TERESINA

Teresina tem suas raízes na Barra do Poti, onde, em 1760, já havia um aglomerado de fogos, ou seja, casas habitadas por pescadores, canoeiros e plantadores de fumo e mandioca. Localizada na confluência do Rio Parnaíba com o Poti, cortada pela estrada que ligava Oeiras a Parnaíba e com sua posição geográfica privilegiada, a Barra do Poti registrou extraordinário aumento populacional, transformou-se num dos maiores centros comerciais da região e foi elevada à categoria de vila (Vila do Poti), desde já demonstrando a vocação comercial de Teresina.

A influência da religião católica fez-se notar desde a fundação da cidade, que já nasceu capital. Ao ser instalada a Vila Nova do Poti na Chapada do Corisco – local assim chamado em virtude das fortes trovoadas e freqüentes faíscas que caem durante a estação chuvosa , o primeiro edifício construído foi a Igreja de Nossa Senhora do Amparo, padroeira dos potienses. O prédio da igreja serviu de ponto de referencia para o traçado de Teresina, cujo território compreendia, de norte a sul, um quarto de légua para cada lado, tendo a lgreja de Nossa Senhora do Amparo como centro; e de leste a oeste, o espaço entre os Rios Parnaíba e Poti.

Vale ressaltar que a transferência da capital da Província do Piauí de Oeiras para Teresina realizou-se sob vários protestos da comunidade oeirense, que desejava a todo custo, garantir a permanência da capital naquela cidade.

Contudo, apesar da pressão, o Presidente da Província, José Antônio Saraiva, ardoroso defensor das idéias mudancistas, efetiva a transferência da capital. E em 16 de agosto de 1852, dirige circular a todos os Presidentes de Província do Império comunicando o fato.

Segundo a História, a Imperatriz Dona Teresa Cristina Maria de Bourbon teria apoiado junto ao Imperador a idéia da mudança da capital e, em sua homenagem, Saraiva denominou a cidade de Teresina (antigamente grafado Theresina).

Com a instalação definitiva da capital, concluída em outubro de 1852, Teresina começou um processo de desenvolvimento bastante acentuado. Em junho de 1 851, viviam na Chapada do Corisco 49 habitantes, entretanto, já na segunda década após a transferência da capital o número de habitantes era superior a 8 mil.

Teresina foi a primeira cidade do Brasil construída em traçado geométrico. Ela não nasceu de forma espontânea, mas de modo artificial. Saraiva, pessoalmente, tomou as primeiras providências: planejou tudo, com o cuidado de estabelecer logradouros em linhas paralelas, simetricamente dispostas, todas partindo do Rio Parnaíba, rumo ao Rio Poti.

No ano de 1860, a nova capital já contava com uma área urbanizada de um quilômetro de extensão na direção norte-sul, com os seguintes confrontos: de um lado o largo do quartel do Batalhão (atual Estádio Municipal Lindolfo Monteiro) e do outro o “Barrocão” (atual Avenida José dos Santos e Silva).

Na direção leste-oeste o desenvolvimento não ganhou a mesma intensidade. Tomando-se como base o lado do Poti, as ruas findavam a algumas dezenas de metros acima das duas principais praças a da Constituição, atual Praça Marechal Deodoro da Fonseca (que anteriormente também denominou-se Praça do Palácio e Largo do Amparo), e a do Largo do Saraiva (atualmente Praça Saraiva). Para o lado do Parnaíba, nem todas as ruas chegavam ao rio.

A Rua Grande, atual Rua Alvaro Mendes, uma das principais ruas da nova capital teve um papel significante no desenvolvimento da nova cidade. Teresina é conhecida por Cidade Verde, cognome dado pelo escritor Coelho Neto, em virtude de ter ruas e avenidas entremeadas de arvores. É um Município em fase de crescimento e, atualmente, possui uma área de 1.673 km² e uma população de 714 mil habitantes, segundo o Censo Demográfico 2000.

História de Floriano

População: 58.158 habitantes

Área Total: 3.403,7 km²

Densidade Demográfica: 19,2 hab/km²

Floriano situa-se na Zona Fisiográfica do Médio Parnaíba, à margem direita desse mesmo Rio, em frente à cidade de Barão de Grajaú, Maranhão. A cidade fica a 240 km da capital do estado do Piauí, Teresina. Suas coordenadas geográficas são: 06°46’01” de latitude sul, e 43°01’22” de longitude oeste em relação a Greenwich. Sua altitude: 140 metros. E o clima é quente e seco no verão, e úmido na época das chuvas.

Aspectos geográficos do município: Rio Parnaíba, que banha a cidade e o município em toda sua extensão. Os principais afluentes são os rios Gurguéia e Itaueira.

O município de Floriano fica localizado num ponto referencial, no portal de entrada para o sul e sudeste do Piauí.

DADOS HISTÓRICOS OFICIAIS DO MUNICÍPIO DE FLORIANO

O Município de Floriano situa-se na área em que Domingos Afonso Mafrense fundou as primeiras fazendas de gado no Piauí. Elas formariam o centro da expansão da pecuária piauiense.

Com a morte de Mafrense em 1671, trinta de suas fazendas foram doadas aos Padres da Companhia de Jesus — os jesuítas. Com a administração das fazendas pelos padres da Companhia, observou-se grande progresso e desenvolvimento dessas fazendas; porém, em 1760, com a expulsão dos Padres Jesuítas do Brasil pelo Marquês de Pombal, as referidas fazendas passaram para o poder do Estado do Piauí ou, na época, Província do Piauí.

História de Parnaíba

Parnaíba , no Litoral do Piauí.Com aproximadamente 149 mil habitantes, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), guarda uma rica história pouco conhecida pelos piauienses. Apesar do aniversário da cidade ser comemorado nesta quinta, Parnaíba tem três datas magnas que representam momentos importantes do desenvolvimento.

A história da capital do delta começa no ano de 1711 com a instituição da Vila Nossa Senhora de Montserrat da Parnahiba. Cinquenta anos mais tarde no local seria criada a Vila de São João da Parnahiba, que em 14 de agosto de 1844 seria elevada à categoria de cidade. A pequena capela de Nossa Senhora de Montserrat fica na Rua Duque de Caxias, no Centro Histórico que compreende 830 imóveis divididos em cinco setores.

Próximo à capela está o chamado Casarão dos Azulejos, que atualmente abriga uma escola. Localizado na Avenida Presidente Vargas, o prédio data do final do século XVIII. Na casa morou a primeira poetisa piauiense Luíza Amélia Queiroz Brandão, que foi casada com Raimundo Madeira Brandão.

Ao comemorar 170 anos de emancipação política, a segunda maior cidade do Piauí se destaca pelo seu potencial econômico e turístico e vive atualmente uma situação confortável de desenvolvimento.

 LUÍS CORREIA

Luis Correia é o município no qual tem a maior extensão de praias, algumas virgens e outras badaladas, as mais conhecidas são Atalaia e Coqueiro onde se concentra os maiores eventos no período de carnaval, ano novo e mês de julho.
Os maiores hotéis e resorts do litoral do Piauí são também encontrados neste município, há uma boa estrutura de bares, restaurantes para receber inúmeros turistas o ano todo.

As praias de Luiz correia são um capítulo a parte você vai ficar maravilhado com as belezas que encontrará.

Até 1820 o lugar era uma vila de pescadores chamada Amarração, que significa o local onde as embarcações atracam. Durante a Guerra dos Balaios, por está numa posição estratégica, serviu de desembarque para as tropas que combatiam os revoltosos.

Nesta mesma época, Amarração recebia vapores oriundos do Maranhão, Ceará, Pernambuco e navios da Guiana Francesa na rota para a Inglaterra.Grandes armazéns foram construídos pelas companhias de navegação. O município de Amarração pertencia ao limites do Ceará e por disputas territoriais foi trocado pela Cidade de Crateús, asim Crateús ficou sendo município do Ceará e Amarração município do Piauí.

Em 1935, forças políticas da região, com o intuito de homenagear apenas um político do lugar trocaram o belo nome de Amarração por Luiz Correia.De toda a área costeira do Piauí – 66 quilômetros, 42 estão em Luiz Correia nas quais são Atalaia, Coqueiro, Arrombado, Maramá e Macapá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *